Corrida de Rua

A prática da corrida cresceu muito no Brasil onde o numero de corredores amadores dobrou nos ultimo anos ao deixar de ser um esporte individual para pessoas com perfil atlético e obsessão por resultados.

A corrida promove hoje o encontro de quem busca uma vida mais saudável e não quer apenas competir antes, quem não era competitivo se sentia excluído.

Hoje, as pessoas correm para se divertir e não ficam tão preocupadas com desempenho. Esse boom no esporte é devido uma consciência nacional da importância da prática esportiva para buscar uma melhor qualidade de vida. É isso que tem feito o brasileiro correr mais.

Estima se hoje no Brasil um numero de 5 milhões de corredores.

Com tanta gente aderindo, o fenômeno passou a apresentar um efeito colateral. “Todo mundo começou a correr: gente muito jovem, de meia idade e idosos. Com isso, aumentou o número de lesões”, afirma Sérgio Costa, ortopedista especializado em traumatologia esportiva. O problema mais comum, segundo ele, é a tendinite nos membros inferiores, que geralmente aparece em sedentários e pessoas que correm sem preparo e acompanhamento.

Por isso, é importante começar devagar e somente depois de uma avaliação médica. Se a brincadeira for adiante, o ortopedista indica a musculação. “O peso corporal nos membros inferiores aumenta de seis a sete vezes na corrida. Uma pessoa de 80 kg por exemplo terá de segurar cerca de 500 kg nas pernas. Para aguentar, os músculos e tendões precisam estar preparados. Tem de haver um preparo físico”, afirma.

Os especialistas afirmam que os resultados da corrida aparecem rápido: em cerca de três meses já é possível observar os benefícios. “Vai dar preguiça, vergonha e a cabeça vai tentar sabotar. Passados esses três meses, é provável que a pessoa veja os resultados e tome gosto”, explica Costa. Por isso a importância de insistir. Literalmente, um passo por vez e ter a assessoria de profissionais especializados que ministrem seus treinos com segurança e eficácia.

TREINADOR:

Anderson Fernando Pereira

✳ Profissional Educação Física CREF 008380-G/PR
✳ Especialista em Fisiologia do Exercício e Biomecanica - Censupeg|SC
✳ Especialista em Treinamento Individual e Qualidade de Vida - PUC|PR
✳ Licenciatura Plena e Bacharelado Educação Física - UTP|PR
✳ Aprofundamento em Recreação e Lazer - UTOP|PR
✳ Coach em Corrida de Rua
✳ Maratonista

Perguntas Frequentes:

Sim, por que não? O exercício não pode se tornar um castigo. Por mais fácil que a corrida possa parecer, para o organismo de um iniciante ela é muito intensa. Por isso, você não conseguirá correr longos períodos logo no início.

Use a caminhada como ferramenta de recuperação para conseguir treinar por mais tempo em cada sessão, alternando-a com a corrida. Lembre-se de que fazer pausas é também uma estratégia inteligente para a construção da resistência e para melhorar o funcionamento do corpo.

Use tanto a boca quanto o nariz. Seus músculos precisam de oxigênio para manter-se em movimento e apenas o nariz não pode entregar o suficiente ao corpo. Por isso, você deve expirar pela boca e tentar se concentrar para exalar completamente o ar.

Além disso, é preciso observar a sua respiração para não bloqueá-la. Muitas vezes, ao tentar cadenciar a respiração com a passada, o corredor iniciante pode restringir a quantidade de oxigênio necessária para aquela intensidade. Portanto não cadencie, tente somente verificar em que ritmo ou velocidade você consegue correr sem ficar ofegante. Se isso acontecer, no entanto, caminhe para se recuperar e reiniciar a corrida.

Os principais fatores desta dor abdominal transitória relacionada ao exercício são comer e beber alimentos com grande quantidade de açúcar, tomar muita água e ingerir alimentos gordurosos, próximo ao treinamento. Além disso, baixo condicionamento físico, exercícios de alta intensidade, falta de aquecimento correto e exercitar-se em dias mais frios também influenciam para que a dorzinha apareça.

Se ela der as caras você deve diminuir a intensidade do treino, respirar fundo o mais rápido que puder e forçar o diafragma para baixo. Prenda a respiração por alguns segundos e depois expire com força.

Essa é uma pergunta comum entre os iniciantes. Mas as passadas ficarão mais tranquilas quando o seu corpo conseguir, com os treinos, provocar uma série de adaptações musculares, respiratórias e cardiovasculares. Saiba que o treinamento faz com que você tenha uma musculatura que suporte mais tempo correndo sem precisar de tanto oxigênio como no começo, além de bombear de forma mais eficiente o sangue para os músculos.

Não, jamais! Iniciante tem que ter um tempo maior de descanso para que as adaptações do corpo ocorram. Corra, no máximo, três vezes por semana. Quem vai com muita sede ao pote tem uma grande chance de se lesionar. Cada tipo de tecido tem uma velocidade de recuperação. Não é porque você não está dolorido no dia seguinte, que pode vestir os tênis e sair correndo. Os tecidos ósseos e ligamentares são os mais lentos para se recuperar.

Quer mais Informações? Ligue para Nós: (41) 3278-6806

Aqui ajudamos pessoas na identificação e resolução de seus problemas com a saúde, bem como no aprendizado e desempenho esportivo. Prezando sempre pela melhor vivência dos nossos alunos, para que os objetivos individuais e coletivos sejam alcançados, sem abrir mão do respeito ao ser humano.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

Segunda a Sexta: 5:50 às 22:00 h
Sábado: 6:50 às 12:30 h

ACADEMIA OLÍMPICA · 2019 © Todos os direitos reservados | Desenvolvido por: MarketNet